quarta-feira, 12 de outubro de 2016

Viajar é preciso

Olá, companheiros de mochila! 

Como todos podem ver, aqui ficou paradão por um por tempo, e não há nada de misterioso ou que envolva cativeiros com a minha pessoa! Eu estava fazendo o que a maioria da população menos abastada faz cotiadamente: trabalhando muito e viajando bem pouco. É a vida, né?

Mas nesse ínterim que fiquei sumida, sempre acompanhei alguns blogs/sites de viagem, para me inspirar e porque a leitura é tranquila e os relatos são pormenorizados, pessoais e com dicas valiosas.

Listo três sugestões para acompanharem: 

1. http://www.aloalomarciano.com/

2. http://viajeaqui.abril.com.br/vt

3. http://viagem.estadao.com.br/blogs/amanda-viaja.

A Coluna da Amanda tem sido o meu site preferido, leiam um dos textos dela: 

Viajar é preciso 

Em tempos de crise ando pensando como ganhar um dinheiro extra. Corto gastos de um lado, economizode outro, me aperto mais do que nunca… E só uma coisa não pode ficar de fora – as viagens.
Apesar de muitas delas serem feitas a trabalho por conta do blog, a maior parte é feita por prazer mesmo. E quando você diz que é por prazer, bate uma culpa lá no fundo do peito que faz você se perguntar se em tempos de crise vale a pena gastar o seu dinheirinho suado só pra se sentir mais feliz durante alguns dias.
A minha resposta, que também vem lá do fundo do peito, é sempre “sim”.
Viajar é talvez a única felicidade real que o dinheiro compra, que faz você gastar sem se arrepender e enxergar tudo como um verdadeiro investimento pessoal.
É como terapia. Ajuda casais a se reencontrarem, introvertidos a se soltarem e qualquer pessoa a se conhecer melhor. Une pessoas de diferentes países e faz você perceber que no fundo somos todos iguais.
Te mostra razões para acordar todo dia com a sensação de que não dá pra parar porque ainda há muito o que se ver no mundo. Mergulhar com tartarugas, voar de balão, ver a neve caindo ali na sua frente… Será que vai dar tempo?
Ao enfrentar um problema, desperta a criatividade e ilumina soluções que você ainda não tinha pensado. Fica mais fácil ter uma ideia quando se passa o dia sentado numa cadeira de frente para o mar. Ou depois de uma trilha de cinco horas. Ou um dia todo andando numa cidade pela primeira vez.
Viajar também ajuda a manter o equilíbrio entre trabalho e prazer. Faz com que você não ache que a vida é só trabalhar e mostra que há um pote de ouro te esperando lá na frente. Traz um propósito.
Então se viajar faz bem quando as coisas vão bem, não dá para abandonar a “terapia” quando as coisas vão mal. Deixemos o beneficio da dúvida entre viajar ou não para tempos mais fáceis. Porque agora, viajar é preciso – e isso não vai mudar tão cedo.
Acompanhe as aventuras de Amanda através do Facebook em Amanda Viaja ou pelo Instagram em@amandanoventa.


Mais inspiração e viagens, por favor!

Flávia. 

Dica de praia em Búzios: Praia de João Fernandes.

E aí, pessoal!

Bem, vou comentar um pouco com vocês sobre mais uma praia que conheci na Região Lagos do RJ, precisamente sobre a praia de João Fernandes, em Búzios.

A praia tem uma das melhores localizações e infraestrutura local, com muitos restaurantes, hotéis e condomínios luxuosos.

A praia tem águas ideais e perfeitas para banho, tendo várias atividades para serem feitas no local: caiaque, mergulho com skorkel, dentre outras.  

João Fernandes é uma das preferidas dos turista, que lá aproveitam para se servirem de petiscos e pratos à base de lagostas e camarões (espere um preço salgado).

É mais uma linda praia de Búzios, altamente recomendável para quem gosta de águas  calmas e cristalinas para sereiar no mar, haha. 









Até mais, 

Flávia. 

Você não precisa ser rico para conhecer Arraial do Cabo : Dicas para ir gastando pouco!


Hello, companheiros de mochila!

Hoje vou compartilhar um pouco com vocês sobre a minha ida (enfim, glórias!) à Arraial do Cabo - Rio de Janeiro. Adiante vão minhas principais dicas:


• É possível chegar sem carro à Arraial do Cabo! 

Basta pegar o ônibus intermunicipal com destino à esse paraíso, sendo que o valor em setembro deste ano (2016) não passava de R$ 60,00 o trecho. 

• Sim, há hósteis e pousadas baratas em Arraial do cabo, não fiquei especificamente em Arraial, mas avistei vários hósteis quando cheguei em Arraial. 

• Recomendo o hostel Che Lagarto Búzios, muito bom! Preço em set/2016: R$ 32,00 - por dia. Ademais, é possível pegar um ônibus convencional para de locomover de Búzios até Arraial do Cabo ou Cabo Frio, sendo que os três locais tem praias incríveis!

• Para fazer passeios de barco, não precisa despender uma fortuna! Para terem uma noção, gastei R$ 40,00 para fazer o passeio padrão - principais praias de Arraial: Pontal do Atalaia, Praia do Forno, Ilha do Farol e um pouco mais, durante toda a tarde! DEMAIS!

• Indico demais fazerem a trilha leve para terem a vista para a praia do forno, é muito tranquilo de chegar, e abaixo verão como sua vista e, consequentemente, suas fotos, serão maravilhosas.

• Para mim, é o verdadeiro caribe Brasileiro, é realmente um PARAÍSO na terra, foram as praias mais lindas e com águas cristalinas azuis que meus olhos já cruzaram neste Brasil, sendo que tive a sorte de me banhar em águas mornas, apenas por capricho da vida, vale a pena ficar no mínimo 2 dias, para fazer o mergulho em Arraial do Cabo (considerado o melhor, ou um dos melhores lugares, para fazer esta prática no Brasil).

Ainda está com dúvida? Dá apenas uma olhadinha nessas fotos e VÁ!  







 Felizona, sim ou claro?



Saudades, Paraíso! 

Flávia. 

segunda-feira, 6 de junho de 2016

Maresias e Ilha bela: Conhecendo o litoral norte de São Paulo.

Em fevereiro deste ano, resolvi conhecer Maresias-SP.
 Foi um impulso planejado, por assim dizer. Já havia visualizado algumas fotos e vídeos do litoral norte paulista, que gradativamente foi me conquistando. Pesquisei como chegar e ficar, por conta própria. E voalá, em fevereiro fui passar meu carnaval lá, pois estava no cúmulo do stress e precisando urgentemente de praia.
 Ah, para acrescentar, foi a minha primeira viagem solo. 
A viagem de ônibus da capital até Maresias demorou 7 horas! Não se iluda quando for em épocas festivas! Há apenas uma estrada sem duplicação, em grande parte do percurso, então, paciência!
Algumas considerações sobre a viagem:
1. Onde ficar: Che lagarto Hostel. Me amarro no che lagarto, pois você já sabe o que irá encontrar, na maior parte das vezes, rolam algumas festas e há áreas em comum no hostel, onde é possível conhecer novas pessoas. 
Ainda estava tendo uma coisa ou outra de carnaval, mas estava bem tranquilo. 
2. Maior segurança nas praias: me senti muito segura nestas praias de São Paulo, em relação ao Rio ou Nordeste. Era muito tranquilo deixar suas coisas e dar um pulo no mar.
3. Melhor barraca: Barraca do Vanderley. É um cara muito gente boa, bom atendimento e serve um milho no potinho cozido que é uma delícia. 
4. Para minha surpresa: as águas eram mornas! 
5. Conheça as praias próximas: Como? de Busão! tem muitas praias bonitas e legais próximas a de Maresias, onde basta pegar um ônibus convencional.
6. JAMAIS DEIXE DE IR À ILHA BELA! O grande ponto da viagem foi, sem dúvidas, ter conhecido um pouco de ilha bela! Amei o lugar, há muitos argentinos e turistas em toda a época do ano, sendo que as praias foram verdadeiras piscinas de águas mornas e cristalinas, perfeitas para banho. Para quem vai de ônibus, vá com a pullman, o ônibus convencional é mais barato, mas é horrível. Explico: Como a todo instante são subidas e descidas, imagine você em pé, maior temão, esperando gente a todo momento subir e descer, lotado de gente, sendo o percurso extremamente desagradável. A minha sugestão é que gaste 4,6 reais a mais e vá com a pullman, a diferença é enorme e importante. Após chegar à são sebastião, vá até a estação da balsa, que é perto da descida do ônibus, inclusive, foi de graça. Após descer em ilha bela, pegue ônibus convencional para ir às praias, por exemplo, para chegar à praia do Curral foi muito tranquilo.
7. Spoiller: depois de ser surpreendido pelo litoral norte de São Paulo, você irá sentir saudades e irá querer voltar para conhecer mais e mais. 
* Ilha bela para mim, além de um paraíso, é um ponto de paz e inspiração, eu volto, coisa linda! 


                                          Ilha Bela.
                                          Marerias.



                                                  Marerias.





terça-feira, 16 de junho de 2015

Espírito Livre.

Ultimamente essas palavras tem efeito latejante na minha vida - espírito livre - eis que encontro um texto que parece que foi extraído da minha mente. 
Eu quero viver em paz, feito as flores.
Quero me mover livremente, feito o vento. Quero ver o mundo pelos olhos de cada pessoa ou criatura que cruzar meu caminho.
As pessoas podem até achar que minhas vontades me classificam como um hippie, mas eu não sou. Eu sou apenas um espírito livre vivendo no meu próprio parquinho, que chamo de Terra.
Embora esses dois conceitos pareçam bem similares, na verdade eles são bem diferentes.
Espíritos livres são indivíduos que vivem as próprias vidas de acordo com suas crenças e sonhos.
Eles não se conformam com a interpretação de vida imposta pela sociedade e eles certamente não tentam alcançar as expectativas dos outros.
Hippies, geralmente, são completamente anti-conformistas, a favor da maconha, advogam pelos animais e pelo meio ambiente, e vivem da forma mais simples possível para manter seus valores de paz, amor e felicidade.
Beleza, eles ainda parecem bem similares. Mas a maior diferença está em: espíritos livres nascem assim, hippies se tornam.
Cada indivíduo nasce completamente diferente de todos os outros. Aqueles que nascem com o espírito livre tem os pensamentos mais selvagens, criam obras de arte em cada tarefa que eles se engajam e tem um desejo em ver o mundo e gastar sua vida tendo experiencias ao invés de objetos.
Ser livre é não ser pressionado pelo que as pessoas esperam de você. Eles não acordaram um belo dia e decidiram ser assim: eles simplesmente nasceram assim.
São essas as pessoas que vão te contar histórias malucas na mesa de bar, e vai dar um jeito de arrastar todo mundo que tá na mesa para suas próximas viagens.
Eles não discriminam, não se limitam e devotam suas vidas ao próprio crescimento.
Já os hippies são criados. Ser hippie é um estilo de vida que se desenvolve baseado no ambiente, na mentalidade e nas experiências.
Eles podem ater ou não as qualidades de um espírito livre.
De forma mais simples: espíritos livres não são hippies, mas hippies podem parecer ter as qualidades de espíritos livres. Por quê?
Pois dizer que você é um hippie significa que há expectativas a respeito do seu comportamento, e você pode acordar qualquer dia desses querendo algo totalmente diferente.
Você não quer se atrelar a um título específico pelo resto da sua vida.
Em contrapartida, você pode achar espíritos livres em qualquer lugar que for.
São as pessoas que tomam banho de chuva, as pessoas que planejam viagens para outros países, os românticos com os olhos pregados em livros, as almas que amam verdadeiramente cada aspecto de suas vidas.
Esses espíritos irradiam positividade e tornam suas vidas reflexos das suas imaginações.
Você não pode limitá-los nem esmagar seus sonhos.
Eles possuem forças imparáveis que tornam o mundo um lugar melhor para se viver.
Honestamente, não dá pra traçar todas as características de um espírito livre. Eles não tentam fazer algo em específico: eles simplesmente existem.
Eles existem para aproveitar cada dia como uma nova oportunidade. Existem para fazer a diferença. Existem para serem destemidos.
Não dá pra comparar eles com nada. Eles existem simplesmente para serem destemidos.
Se há algo que restringe sua liberdade, eles não conseguem funcionar direito até que consigam vagar livremente conforme seu bel prazer.
As pessoas nem sempre entendem que hippies e espíritos livres não são a mesma coisa, mas OK, isso é compreensível.
Suas almas não precisam ser entendidas. Só precisam serem valentes e selvagens do fundo dos seus corações.

Autor: Alexm. (Tá tudo bem?)
                                                                     xx,

Flávia.                                  


segunda-feira, 15 de junho de 2015

Meus dias em porto de galinhas - Pernambuco!


Olá!

Por um alinhamento universal, consegui reunir forças de terminar de postar sobre minha trip para porto de galinhas (palmas).


Então, eu fui em baixa temporada - final de Abril e vou compartilhar o que julgo mais interessante:


Ônibus:  Passa em Recife, inclusive em frente ao aeroporto, os ônibus com rumo à Porto, com bastante frequência. 

Há linhas executivas ou mais simples. Basta pesquisar no Google o nº. dos ônibus que voce irá encontrar.

Ônibus que eu usei: O mais simples, sem ar, mas foi tranquilo! demorou um pouco mais de uma hora para chegar em porto. Não tenho o que reclamar. 

Hostel: 1º La Rocca. 

O preço e a recepção são muito bons! Minha diária foi R$ 30,00, com ar condicionado.

Hostel: 2º Che Lagarto.

Preço um pouco superior, mas não podia usar a piscina a noite, após certo horário! Bem, penso que de manhã você curte a praia e a noite é uma boa reunir a galera na piscina.. tentamos um dia a noite o funcionário não nos deixou usar, as vezes o problema é no pessoal mesmo. 

Se você quer acomodações boas, indico o Che Lagarto, se você quer ficar num lugar mais simples, mas que tenha uma rede para deitar, um café da manhã da hora, e se sentir em casa: indico o La Rocca #emojicomsaudades.

Praias:

Eu nunca havia entrado e flutuado em águas tão gostosas na minha vida. Mornas, cristalinas, apaixonantes. Não queria sair nunca. Um dos momentos mais legais, foi quando joguei frescobol em porto, leve algo para brincar para estender o dia na praia, mais uma desculpa para não ir embora tão cedo!

Passeio de Buggy: NÃO VÁ POR IMPULSO, COM O PRIMEIRO CABRA QUE TE OFERECER!
Lição da viagem: calma que chegamos lá!

Bem, na nossa chegada o passeio "ponta a ponta" era R$ 200,00, só eu e minha amiga, lógico que não fizemos.


No penúltimo dia, passávamos e já conhecíamos alguns dos buggeiros, que nos ofereciam por preço bem menor, até que conhecemos mais duas pessoas e fechamos por R$ 35,00 cada um, e fizemos o famoso "ponta a ponta" que inclui Praia do Cupe, Praia de Muro Alto e Maracaípe. Posso falar? FOI MARAVILHOSO, guardarei essa experiência para sempre e me deu um fôlego para voltar para a vidinha de todo dia na cidade onde moro. 

Ah, o passeio de jangada para fazer mergulho era R$ 20,00 reais, achei barato, mas eu tinha um colega com Snorkel que me incentivou a ir nadando até onde a jangada vai, me apoiando numa boia infantil (Loja do 10 - fica no calcadão, mucho boa). Se você não sabe nadar direito (EU), não faça isso, eu consegui chegar, mas foi tenso, mas incrível também!





Praia do Cupe. Primeira praia do passeio.

Praia de Muro-Alto.


Brodinhos!


Selvagens. Rumo a última praia - Maracaípe. 






Porto de bichinhos que me deram medinho.


Vou parar de comentar, porque minhas legendas são ridículas uahusahuhsauha



Porto de Galinhas. 

Conchinha.jpeg










Esse lugar marcou meu coração, Nordeste - Te quiero

xx, 


Flávia.